Não me entenda mal!



Não é que eu ainda sinta algo, mas é que as vezes me bate uma pequena saudade de você, sabe? Do que tivemos, do que não tivemos, do que poderíamos ter tido antes e até depois de tudo. Também sinto vontade de você, mas não do modo que pensas... sinto vontade de ser sua amiga, participar de sua vida como era antes de tudo. Sempre falo para as pessoas o quanto você sempre foi um cara divertido, uma pessoa legal apesar de vários defeitos (afinal, quem não os tem?). Volta e meio falo, tentando me entrosar em seu dia, me encaixar, me sinto pegando migalhas e sinto que você sente receio. Receio de que eu talvez ainda lhe queira daquele jeito, mas por favor pare de me entender mal. Sou péssima em permitir que pessoas saiam de minha vida, me fazem uma falta danada, por mais perdidas que elas estejam. Mas meu pressentimento me diz que você não está perdido, que a gente ainda tem o que viver, o que aprontar, o que compartilhar, e não falo isso de um modo romântico, apenas de um modo... não sei, geral, de amigos, de parceiros. Eu só queria que você entendesse isso e parasse de colocar essa barreira e esse medo todo.
1 comentários