O bom da decepção é a inspiração!

O tempo passa, lições são vividas e aprendidas, mas nada impede que os erros sejam repetidos. Prometi tanto que não deixaria mais ninguém se aproximar, que ninguém derreteria o castelo de gelo que construí em volta de mim. Cumpri a promessa por um bom tempo. Conheci e me apeguei a pessoas... me obcequei por algumas, mas nada além... Nunca entreguei meus pensamentos a nenhuma delas.

Até você aparecer. Chegou de leve, suave e me mimando. Brincou comigo, brinquei com você, brincamos juntos, nos curtindo em nosso mundo paralelo, particular. Nunca liguei pro que diziam-me sobre você, nunca me importei se você prestava ou não, o que me importava era quem você era ali comigo. Curtia nossos momentos, mas nunca realmente me entreguei. Foi um baque quando descobri que você fazia a mesma coisa que eu: se protegia. De mim. Você tinha medo de mim. Medo de meu jeito largado, de meu jeito de festar, de meu jeito menina que não sabe o que quer. E ao descobrir isso eu tive vontade de mudar. Tive vontade de tirar as barreiras que impus ao meu redor. Quis que você enxergasse o que eu descobri, que você lesse nas entrelinhas do meu livro. Quis deixar a menina festeira de lado e te mostrar a mulher companheira que eu sou também. Pisei em meu orgulho tantas vezes, fui atrás mesmo quando o erro não foi meu, mas você nunca enxergou. Você brigava comigo, eu brigava com você, passava dias um testando o outro e sempre pisava em mim pra ir te procurar. Eu sempre sentia falta, você nunca deu atenção, nunca se importou de verdade, apesar do que dizia. Aí eu pedia manhosa para te ver e você concordava, então tudo ficava bem!

0 comentários